ENFERMIDADES DO CORPO

Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo”. Judas 1:4

“E, contudo, também estes, semelhantemente adormecidos, contaminam a sua carne, e rejeitam a dominação, e vituperam as dignidades”. Judas 1:8

“Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas. Ondas impetuosas do mar, que escumam as suas mesmas abominações; estrelas errantes, para os quais está eternamente reservada a negrura das trevas”. Judas 1:12-13

“Estes são murmuradores, queixosos da sua sorte, andando segundo as suas concupiscências, e cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse”.Judas 1:16

“Os quais vos diziam que nos últimos tempos haveria escarnecedores que andariam segundo as suas ímpias concupiscências”. Judas 1:18

1 –        Introdução

O nosso assunto é enfermidade do corpo. Qual é a diferença entre enfermidade do corpo e síndrome da queda?

A síndrome da queda fala da doença do crente, do servo, é individual.  A enfermidade do corpo fala da doença da Igreja, que é o corpo de Cristo.

A saúde é uma situação de equilíbrio físico e psicológico, quando há uma quebra deste equilíbrio, aparece a enfermidade, porque há uma alteração, há um distúrbio qualquer que compromete o bom funcionamento daquele corpo. A enfermidade incapacita o homem, a pessoa não pode desenvolver o seu trabalho, a sua função, ela afasta o homem dos seus compromissos, daquilo que ele tem que realizar.

A Igreja está realizando uma obra, é um trabalho que está sendo desenvolvido continuamente, é uma construção, mas se ficar enferma, como ela realizará este trabalho?

Se ela conseguir realizar, será com uma certa deficiência, porque uma pessoa doente só consegue realizar o trabalho de forma imperfeita e com grandes limitações. Se a Igreja é um corpo que está doente, então ela não pode realizar a obra do Senhor, satisfatoriamente.

2 –        Predisposição.

Predisposição são aquelas coisas que facilitam a entrada da doença, elas cooperam com a entrada da doença. Exemplo: uma pessoa que fuma muito, ela está predisposta a ter doenças como o câncer do pulmão, do esôfago, da boca, doenças no coração. Uma criança que fica descalça na lama, em lugares contaminados, ela está predisposta a ter uma hepatite, uma doença infecciosa, uma verminose, tudo porque a situação em que ela está facilita a aquisição da doença. Uma criança pouco gripada, mal agasalhada exposta ao vento e frio, fica predisposta a uma pneumonia grave.

Quais são os fatores que predispõem a Igreja à enfermidade?

a)  Ímpios.

O ímpio é aquele que vive impiamente, que vive em situação de pecado.

Você não pode ter isso dentro da Igreja, do corpo. A pessoa é visitante? Não tem problema, a porta está aberta, o sujeito entra e sai a hora que quiser, mas você não pode ter como membro da igreja, como parte do corpo uma pessoa que vive impiamente, você não pode deixar isso dentro da Igreja, você não pode admitir certas situações como membro da igreja.

Você não pode permitir isso porque as pessoas estão chegando vejam o ímpio como exemplo.

Isso é uma igreja doente, a pessoa está levantando para orar, mas vivendo em pecado…

Quando você batiza, a pessoa passa a ser membro da Igreja, e é por isso que nós temos cuidado com o batismo de adolescentes. Todo o mundo gosta, quer ver o filho de quinze anos ser batizado. Com o batismo, ele vai ter a mesma responsabilidade de um adulto. Aí chegou na escola e criou um problema, saiu nos tapas com um colega, agrediu. Quando chegar na igreja, ele vai ser disciplinado igual ao crente adulto porque ele é membro da Igreja, ele já é batizado, não vai ter acordo. Aí os pais entram numa dificuldade.

Nós não vamos pegar um membro da Igreja, participando da ceia, das coisas que são sérias, que fazem parte do corpo, estando nestas condições.

b)  Adormecidos.

Durante a escola dominical você pergunta para a Igreja:

_ Você aí da sexta fileira, fica de pé e me responde uma coisa.

_ Sim, pastor.

_ Nesse mês a evangelização é a favor de quem?

_ Ahammm…Hummm…Hummm…

Eu disse:

_ E você de trás.

_ Quem? Eu?

_ Você sim. A evangelização deste mês é por quem?

_ Humm… Humm.

Os membros não sabiam. Uma igreja com membros desse tipo é uma igreja com dificuldade, ele não sabe nem a revelação que o Senhor tem dado. Adormecidos.

Uma outra pergunta:

_ Esse é o mês da evangelização de quê?

_ Das autoridades.

Quantas autoridades vocês trouxeram?  Quem trouxe?  Quem evangelizou alguma autoridade?

Ninguém levanta a mão. É uma igreja desobediente, é uma igreja adormecida. Ela está vindo de madrugada, está jejuando, está vindo ao meio-dia, mas não está atendendo, não está evangelizando, é uma igreja que não sabe o momento em que nós estamos vivendo, está adormecida, acomodada.

É entendimento, mas se você não coloca isso em ordem, você tem uma igreja acomodada, uma igreja que não está preocupada e assim ela vai atrofiando, porque ela não tem a experiência daquilo que o Senhor está operando.

Quando você coloca a igreja em ordem, o Espírito Santo opera, Ele atua. Uma igreja que não está atendendo as revelação é uma igreja que entra em dificuldade.

Governar bem a igreja está em função de atender as revelações, quanto mais revelações você puser em prática, melhor você governa. Você tem que estar vendo isso na igreja, senão ela adoece, fica igual à Religião, não tem experiências.

Se nós colocarmos em ordem, vai haver operação, é assim que a obra tem que ser realizada.

c)   Insubordinados.

Os insubordinados são aqueles que rejeitam a dominação. Se você tem servos que não aceitam a orientação, então você tem uma igreja doente.

Insubordinados, rejeitam a orientação, e isso cria uma doença na igreja.

Um exemplo são as pessoas que entregam o dom diretamente para a pessoa a quem o dom faz referência. Entrega o dom fora do corpo.

Uma igreja dessa é uma igreja doente porque você pegou uma revelação que não é discernida, você criou um problema para o outro.  O resultado é uma igreja cheia de problemas, uma igreja que não está crendo nos dons.  Você pergunta: Por que você não está crendo nos dons?  E ela diz: Porque aquela revelação não se cumpriu na minha vida, aquela irmã entregou uma visão e não aconteceu nada…  Porque o irmão me disse que o Senhor ia-me dar uma bênção e não deu.

Você tem uma igreja doente porque você tem ali os insubordinados, isso predispõe à doença.

Você trabalha, você clama, você conversa, você orienta.

Hoje nós temos uma atividade, tem um trabalho da Igreja, tudo aquilo que o Senhor quer fazer. A igreja que não está atendendo, que não está colocando as orientações que o Senhor tem dado para a sua Obra em ordem, ela está predisposta a ficar enferma. A igreja que obedece, ela cresce.

d)  Manchas.

Se uma pessoa está sendo usada na igreja, você tem que ver como é que está a vida dela, porque senão você a coloca lá na frente e aí chega o outro e diz: Ihh! É Fulano que está lá… O que é isso?  Vou embora e nunca mais volto aqui porque aquela pessoa está numa situação difícil.

Você não pode expor a Igreja.

e)  Apascentam-se a si mesmos sem temor.

Você não pode ter uma igreja onde as pessoas apascentam a si mesmas, você está pregando e os irmãos estão fazendo o que lhes dá na cabeça.

Eles saem mexendo na igreja, de qualquer jeito, não têm temor, é uma igreja sem temor.

f)    Nuvens sem Agua levadas pelo Vento.

São pessoas facilmente enganadas porque não têm discernimento. Apareceu um sujeito lá, um amalequita, primeira vez que foi na igreja, e uma moça logo se encantou com o camarada, depois chegou para mim e disse:

_ Pastor, será que é o meu companheiro?

_ Você ficou maluca?  Você sabe quem é esse rapaz?  Veio a primeira vez aqui, você conhece a figura?  Sabe se é um assaltante?  Se é viciado?  Você não sabe nada a respeito dele e já saiu pra jantar com ele?  Que negócio é esse?

São pessoas facilmente enganadas porque não consultam ao Senhor.

Você não pode deixar essas coisas no meio da igreja.

g)  Árvores Murchas.

Elas não dão frutos, são pessoas que ficam cronicamente dentro da igreja, não têm uma atuação, não entregam um dom, passa um ano dentro da igreja e não entregam um dom, não entregam uma orientação, não participam de nada na igreja. Você pergunta:

Você não pode ter um crente desse jeito, é um mero espectador, entra, senta, assiste, levanta e vai embora. Ele é murcho, não tem vida, sem fruto.

O fruto serve para a alimentação e também para a continuação da espécie porque a semente vai dar origem a outras árvores.

h)  Ondas Impetuosas do Mar

Elas expõem a sua sujeira interior, são pessoas que não deixam de falar dos seus problemas, das suas dificuldades, daquilo que o Senhor já as libertou e que por isso não tinham mais que falar a respeito delas.

i)     Estrelas Errantes

Elas falam de luz, mas vivem nas trevas, elas falam de Jesus, mas vive completamente na opressão, na dificuldade.

Falam de luz, mas vivem nas trevas.

3 –        Sintomas

a)  Murmuradores.

Os murmuradores são idólatras porque eles murmuram sempre contra a revelação. Eles são um problema na igreja, uma doença.

Ele diz: Tá vendo?  Fulano já é diácono e eu ainda não sou, isso é uma perseguição, já tenho até o sétimo período e nada, eu sou doutor e o outro não sabe nem falar direito.

b)  Queixosos da sua Sorte.

São aquelas pessoas que acham que a igreja é para resolver os seus problemas materiais. O Senhor dá a bênção material, mas ela está ligada à bênção espiritual.

As pessoas não podem ficar vivendo em função disso na igreja. A igreja que começa a fazer estas coisas sem orientação, que começa a dar coisas para estas pessoas sem orientação, ela vai começar a ter problema.

c)   Concupiscentes.

Elas andam segundo as suas concupiscências, ou seja, segundo a carne, participando de coisas que não são do Espírito Santo, seja no falar (porque tem crente na igreja com um tipo de linguagem que não agrada ao Senhor, com certos comentários, piadas, assuntos que não glorificam ao Senhor) e no agir.

Essas coisas têm que sair do meio da igreja.

d)  Arrogantes.

images

Eu lembro de alguns exemplos de pessoas arrogantes. Ficam atentas aos erros dos outros e se esquecem da benção. Os erros de português do pregador são maiores do que a revelação.

A igreja tem uma determinação, ela tem um governo, que é aquilo que o Espírito Santo está fazendo.

e)  Escarnecedores.

A Bíblia fala de três juízos no colégio apostólico: a repreensão de Tomé, a dificuldade de Pedro e a atitude de Judas. Para mim a dificuldade de Pedro foi maior do que a de Tomé, mas a atitude de Judas foi a mais grave de todas porque ele expôs a intimidade do colégio apostólico, ou seja, do corpo. Isso é um grande perigo na Obra.

Às vezes você tem essas pessoas dentro da igreja, são pessoas muito difíceis (não digo impossíveis porque eu não sou dono do juízo, isso cabe ao Senhor).  A pessoa sai e começa a criticar aquilo que o Espírito Santo fez. Dificilmente ela volta.

A Obra do Espírito Santo é uma coisa muito séria. Você pode falar mal de todo o mundo, menos da Obra.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s