Antes ninguém podia sair nem para visitar outras igrejas mesmo que fosse da ICM.

 
Antes ninguém podia sair nem para visitar outras igrejas mesmo que fosse da ICM.

Tocar então…. nem pensar….. agora p PES criou um grupo oficial chamado quarteto virtude .

E estão saindo de igreja em igreja cantando com as cantoras oficiais do PES.
E ainda estão gravando CD.

Antes que os defensores saiam em defesa, vou logo falando:

Não tenho nada contra, muito pelo contrário, isso já era usado há muito tempo pelas demais religiões e criticado pela obra gedeltiniana.

Agora pergunte aos irmãos que saíram que eram cantores quantas perseguições sofreram e eram proibidos de cantar em outras igrejas.

Mas uma desrevelagem.

E voce, vai doar o que?

Imagem

Aprendam como vocês irão doar seus imóveis para os mercenários deitar e rolar.

Já que õ dizimo está em baixa, que tal fazer uma caridade e doar seu imóvel, eles precisam muito!

As normas para doar estão bem elaboradas, pensem bem, não poderão querer de volta.

Esses caras doam os seus imóveis?

Alguns desses meia solas já fizeram esse tipo de doação.

Acorda igreja!

O Gilson, por ser o chefe de Minas Gerais, tem tido laços muito estreitos com a cidade, Muriaé (MG).

 Imagem

 

O Gilson, por ser o chefe de Minas Gerais, tem tido laços muito estreitos com a cidade, Muriaé (MG).

Já estão  cogitando  comprar uma área ou um imóvel  pra construir um maanaim,  que coisa  absurda! e ainda é um desperdício de dinheiro, numa área que não tem mais do que 3000 mil membros, ou seja,para encher o maanaim  precisaria que todos os membros da ICM se deslocassem para o local, algo inviável, e  tem mais, quem iria trabalhar na administração, limpeza, segurança e outras atividades  mais?

Em Barra mansa já tem uma igreja que foi construída aproveitando uma casa que havia no terreno,  e o resultado é que  o terreno ficou mal aproveitado, a nave menor do que poderia ser, foi uma decepção a construção! Mas não ligam vão gastando o dinheiro como bem entendem!

Se quisessem poderiam fazer uma reforma boa,  poderia dar uma ampliada , e por baixo caberia mais de 1000 membros,

O terreno dos fundos da igreja (que está inutilizado, pois é em aclive), poderia ser feito o BATISTÉRIO ( pois também querem comprar local pra construí-lo),Economizaria assim uma grande quantidade de dinheiro.

Em cima da igreja, poderia ser feito as salas pra reuniões e secretaria.

Nunca investiram um tostão lá e agora depois dos escândalos estão querendo fazer esses gastos desnecessários.

Esses maanains são sempre com transmissão via satélite, então fica  a pergunta:

Para que construir, se as igrejas podem se reunir em suas unidades locais e assistiram pelo satélite mesmo. Além do mais, tem  um maanaim em JF, que fica a 160km de Muriaé (MG), 2 horas de carro.

E ainda por cima COBRAM  R$46,00 para assistir aulas. Sendo que na igreja os irmãos não precisariam pagar nada. nem todos tem condição de ficar gastando assim.

 

 

 

 

DISCIPLINA DO SERVO ( APOSTILA DO PRINCIPIANTE)

Imagem

 

DISCIPLINA DO SERVO

(Principiantes)

INTRODUÇÃO

O crescimento da igreja, o acréscimo que a cada dia se verificava no número de salvos, as vidas novas que se iam integrando ao corpo de Cristo, alcançadas pelo Evangelho de poder, deixado pelo Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, constituíam preocupações sérias dos servos da primitiva igreja, uma vez que, a vontade do Senhor era, e ainda é hoje, que o homem seja alcançado pela sua verdade, e como consequência, que o seu povo cresça, pois que o Seu querer é que todos se salvem. “Que quer

que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade”. (I Timóteo 2:4)

Evidentemente que o crescimento demográfico do povo de Deus não justificou e nem tão pouco se pois, que o crescimento da igreja, esteja paralelamente ao crescimento particular de cada servo na presença do Senhor.

Uma vez que o aspecto dinâmico da obra que o Senhor realiza, sempre se denotou e hoje para nós muito se evidencia, banindo de todos os meios e modos qualquer idéia de estatização. Disto conclui-se que o crescimento da Obra requer desenvolvimento harmônico e consistente do servo do Senhor, sem perder de vista os princípios fundamentais, que Deus tem revelado.

Sim, crescer, com perfeição. As partes perfeitas e justas, tem como corolário, um todo perfeito.

Atos 2: 40 e 47: “E perseveraram na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar”.

II Timóteo 3:17: “Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda boa Obra”.

Colossenses 4:12 – “Para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda vontade de Deus”.

Efésios 4:13 – “Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do filho de Deus,e varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”.

Filipenses 3:12 – “Não que tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que também fui preso em Cristo Jesus…”

Deuteronômio 32:4 – “Ele é a Rocha cuja obra é perfeita”.

II Crônicas 31:21 – “E assim fez Ezequias em todo o Judá, e fez o que era bom, e reto, e verdadeiro, perante o Senhor seu Deus. E em toda obra que começou no serviço da casa de Deus, e na

Lei, e nos mandamentos, para buscar o Senhor seu Deus, COM TODO CORAÇÃO O FEZ, e prosperou”.

A perfeição em Cristo, se condiciona a vários fatores, dentre eles:

1. Oração

2. Jejum

3. Leitura, meditação e consulta à Palavra

4. Humildade

5. Obediência

6. Santificação

7. Amor e zelo pela Obra

Evidentemente que sem disciplina não alcançaríamos a perfeição, mesmo com a prática do que acima se descreveu, uma vez que a primeira é característica da segunda.

Hebreus 12:8 – “Mas, se estais sem DISCIPLINA, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos e não filhos”.

 

1- DISCIPLINA NO CLAMOR PELO SANGUE DE JESUS

Jeremias 33:3 – “Clama a mim e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes”

Salmos 119:145 – “Clamei de todo o meu coração”.

Salmo 34:6 – “Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu, e o salvou de todas as suas angústias.

O clamor deve ser feito de coração, em espírito.

Mateus 15:8 – “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”.

O clamor não é um método, não é um ritual. É, sim, uma necessidade, é condição essencial à

nossa comunhão, benção e vitória.

Hebreus 10:19-20 – “Tendo, pois, irmãos ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne.

Hebreus 9:22 – “… e sem derramamento de sangue não há remissão de pecados”.

O Senhor tem requerido do seu povo reverência no momento do clamor. Até mesmo com relação a postura do servo.

2 – DISCIPLINA NA GLORIFICAÇÃO

2.1 – Glorificação sincera

Salmos 137:4 – “Mas como entoarmos o cântico do Senhor em terra estranha”.

O povo estava cativo, e sabia que naquela condição o Senhor não aceitaria sua glorificação.

Lutas, dificuldades, provas, são comuns a todos nós; no clamor e na glorificação somos delas

Desacerto, desobediência, são bem diferentes. Nesse estado, clamarmos, glorificarmos, é colocar remendo novo em pano velho; a rotura se torna maior. É necessário um acerto com o Senhor para uma glorificação sincera, perfeita.

Mateus 9:16 – “Ninguém deita remendo de pano novo em vestido velho, porque semelhante

remendo rompe o vestido, e faz-lhe maior a rotura”

Isaías 59:1 e 2 – “Eis que a mão do Senhor não está encolhida para que não possa salvar; nem o seu ouvido agravado, para não poder ouvir. Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e vosso Deus; E os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”.

O Senhor não opera nas nossas vidas em desobediência

2.2 – Glorificação sem barulho

A benção do Senhor não está condicionada a barulho. A Bíblia não registra que o Senhor Jesus tivesse gritado, pulado ou feito gestos anormais nos momentos de operações de milagres, tais como a ressurreição de Lázaro, o filho da viúva de Naim e muitas outras operações maravilhosas. Pelo contrário, Ela nos transmite a serenidade do Mestre nos momentos descritos.

I Reis 19:11-13 – No monte Horebe, o Senhor não falou a Elias no grande e forte vento que fendia os montes e quebrava as penhas, diante da face do Senhor; o Senhor não estava no vento; e depois do vento o terremoto, também o Senhor não estava no terremoto; depois do terremoto um fogo, também o Senhor não estava no fogo; depois do fogo uma VOZ MANSA E DELICADA.

Então Elias ouviu: “Que fazes aqui Elias?”

2.3 – Glorificação sem emotividade

Lucas 1:46-56

2.4 – Glorificação sem alteração na tonalidade da voz

147

2.5 – Glorificação sem deformação do semblante

É tão somente necessário que haja reverência.

I Coríntios 14:15 – “Que fareis pois? Orarei com o Espírito, mas também orarei com o

entendimento; cantarei com o Espírito, mas também cantarei com o entendimento”

3 – DISCIPLINA COM RELAÇÃO A DIREÇÃO DO CULTO

3.1 – Quanto ao dirigente

Se o período é de glorificação, não é próprio que de cada hino anunciado à igreja, faça um sermão.

É preciso sempre lembrar que muitas vezes a igreja não alcançou comunhão profunda com o Senhor para uma benção maior, por isso, é necessário que o dirigente tenha bastante cautela, para que, ao ir à frente do povo, muitas vezes transbordante de bênçãos, e Glórias ao Senhor por isso, já não vá derramando lágrimas (quebrantamento), provocando um total contraste entre seu estado e o do povo.

Ora, é bom lembrar sempre a necessidade de conduzir a igreja ao recebimento da benção, para que ela não fique como uma espectadora daquele que está à frente, o dirigente.

O Senhor nos fala na sua Palavra da necessidade de nos abstermos da aparência do mal. Assim é que se trata de um culto público onde não só os servos, mas homens de toda natureza religiosa ou não, tem acesso a de Deus, necessário se torna que nos preocupemos em não nos lançarmos, até mesmo com o nosso traje, ao escândalo. Por exemplo: não faz bem a qualquer um de nós, de sensibilidade perceptiva, nos depararmos com um servo trajado de terno xadrez, camisa xadrez e gravata xadrez, além do sapato mal engraxado, e algumas caspas se destacando ao alto do ombro. O Senhor requer de nós perfeição em tudo, e muito mais do que requerer é merecer o nosso zelo em todas as coisas.

3.2 – QUANTO AOS INTRUMENTISTAS

É importante notar o quanto a bênção de um culto depende da posição espiritual dos instrumentistas e da condição do instrumento.

O que o Senhor quer é que tanto instrumentistas quanto instrumentos estejam afinados pelo seu diapasão.

É necessário ter cuidado com a carne. A Obra é do Espírito. Exibição, balanço de corpo, de cabeça, batida de pé, não são comuns nesta Obra.

Salmo 47:7 – “Pois Deus é o Rei de toda a terra; cantai louvores com inteligência”.

Salmo 138:1 – “Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração”.

3.3 – QUANTO À IGREJA

O servo que dirige um culto, o faz pela vontade do Senhor; necessário se torna a igreja não divergir da orientação que recebe naquele momento.

Exemplo: Pede-se uma glorificação É certo que se faça uma glorificação, não um clamor. Ou vice-versa.

É necessário que haja objetividade. Não é próprio de um culto público, muitas vezes a igreja

cheia de visitantes, nos clamores intercalarmos assuntos que são essencialmente íntimos. A menos que o Senhor peça. Com relação aos tais, temos muitos outros momento em que podemos colocá-los na presença do Senhor.

 

4 – DISCIPLINA DO TEMPO

Os cultos na Obra do Espírito já pela sabedoria, não são longos.

É preciso muitas vezes nos reportarmos àqueles que ainda não estão na bênção e que naturalmente para os tais, a demora é prejudicial. Enquanto nós não sentimos o cansaço, eles o sentem.

No entanto, quando a igreja está reunida mais a sós, podemos passar até uma noite inteira cultuando ao Senhor.

5 – DISCIPLINA NO USO DOS DONS

I Coríntios 14:26 – “Que farei, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo,

tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. FAÇA-SE TUDO PARA EDIFICAÇÃO”.

Dons espirituais exercitados nos ministérios. (atenção)

Euforia, sentimento de perfeição e outros ao receber o dom: perigo!

“O dom não é propriedade do servo”.

II Timóteo 4:14 – “Não desprezes o dom que há em ti”

6 – DISCIPLINA DO SERVO APÓS UMA BENÇÃO RECEBIDA OU PROMETIDA

Eclesiastes 10:16 – “Ai de ti, ó terra cujo o rei é criança, e cujos príncipes comem de manhã”.

- É para ser contada?

- A quem contar.

- Como contar.

- Onde contar

O Senhor Jesus, muitas vezes operou e recomendou: “Não conteis a ninguém”. (Lucas 8:49-56).

7 – DISCIPLINA NO FALAR

Eclesiastes 5:7 – “Porque, como na multidão dos sonhos há vaidade, assim também nas muitas palavras; mas tu teme a Deus”.

Provérbios 18:8 – “As palavras do linguareiro são como doces bocados, e elas descem ao íntimo do ventre”.

Provérbios 10:19 – “Na multidão das palavras não falta transgressão, mas o que modera os seus lábios é prudente”.

8 – DISCIPLINA COM RELAÇÃO AOS QUE DESOBEDECEM E SAEM DA PRESENÇA DO

II Tessalonicenses 3:14-15 – “Mas se alguém não receber a nossa palavra por esta carta, notai o tal, para que se envergonhe. Todavia não o tenhais como inimigo…”

O Senhor não se agrada de bajuladores, que se fazem solidários aos que caem arrojando-os contra o pastor, a igreja, o presbitério, etc.

Provérbios 24:24 – “O que disser ao ímpio justo és; os povos o amaldiçoarão, as nações o detestarão”.

9 – DISCIPLINA COM RELAÇÃO AO ÍMPIO

Mateus 10:16 – “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos, portanto sede prudente como as serpentes e símplices como as pombas”

10 – DISCIPLINA COM RELAÇÃO ÀS DETERMINAÇÕES DO PRESBITÉRIO

I Coríntios 12:12-30 – “… Ora vós sois o corpo de Cristo…”

Nesta Obra não há hierarquia.

Não há cúpula, nem privilegiados.

“Somos corpo de Cristo”.

 

Ninguém excede a limitação desse corpo.

As determinações do Presbitério às igrejas, não dele próprio, mas do Senhor, que todas as coisas revela. Convém obedece-las!

Romanos 16:19 – “Quanto a vossa obediência, é ela conhecida de todos”.

Filipenses 2:8 – “Sendo obediente até a morte, e morte de cruz”.

A igreja sofre, quando o servo não obedece as determinações do Senhor ao Presbitério.

Romanos 5:9 – “Porque, como pela desobediência de um só homem, muito foram feitos

pecadores”.

11 – DISCIPLINA NO RELACIONAMENTO COM OS UNGIDOS

Já se tem dito que esta Obra é de respeito e consideração para com os ungidos.

Salmo 105:15 – “Não toqueis nos meus ungidos…”

I Crônicas – “O Senhor me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do Senhor,

estendendo eu a minha mão contra ele, pois é o ungido do Senhor”.

12 – DISCIPLINA NAS VIGÍLIAS, NAS MADRUGADAS

São horários especiais, horários reservados ao silêncio, é preciso cuidado, para que não haja escândalo.

II Coríntios 6:3 – “Não dando nós escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado”.

Colossenses 2:5 – “Porque ainda que esteja ausente quanto ao corpo, contudo em Espírito estou convosco, regozijando-me, e vendo a vossa ordem, e a firmeza da vossa fé em Cristo”.

I Coríntios 14:40 – “Mas faça-se tudo com ordem e decência”.

Observação: Locais especiais, multidões, etc.

Filipenses 1:10 – “… E sem escândalo algum até ao dia de Cristo”.

EPÍLOGO

A Palavra de Deus nos diz que a Igreja é o corpo de Cristo. É importante lembrar que o Senhor Jesus para se fazer identificado por Tomé, mostrou-lhe no seu CORPO as marcas do seu sofrimento.

Sofrimento não espontâneo, de sua parte, mas fruto da obediência ao Pai. A Obediência deixa marcas, ainda que sejam cicatrizes de grandes feridas, através das quais o mundo crê, e destingue a Igreja verdadeira, o corpo, de tantas religiões.

Tomé distinguiu o Senhor Jesus, pelo seu corpo, pois nele trazia as marcas da cruz.

O povo do Senhor é um povo OBEDIENTE, ORDEIRO, DISCIPLINADO, sempre atento às determinações do Senhor. Apesar de muitas vezes distantes uns dos outros, mas somos o mesmo corpo,

firmados na mesma ROCHA. Atentos sobretudo ao TOQUE DA TROMBETA!

Neemias 4:19-20 – “Grande e extensa é a Obra, e nós estamos apertados do muro, longe uns dos

outros. No lugar onde ouvirdes o  som da buzina ali vos ajuntareis conosco. O NOSSO DEUS

PELEJARÁ POR NÓS”. Aleluia

O batismo por imersão, deve ser em águas correntes e nunca em locais com águas estagnadas que, no caso, seria até anti-higiênico

 

 

RELIGIÃO, DENOMINAÇÃO, MOVIMENTO E OBRA

(Principiantes)

INTRODUÇÃO

Este assunto acima mencionado (por revelação) é sem dúvida alguma, oportuno e atual, e por

certo, dissipará da mente de alguns crentes muitas dúvidas e interrogações. Inicialmente gostaríamos de

chamar a atenção dos irmãos para dois pontos distintos que o Apóstolo Paulo deixa bem claro quando

se dirige a Igreja. Podemos encontrá-lo em:

1º – I Coríntios 2:9-13

2º – II Coríntios 2:14-16

Nestes dois textos o apóstolo nos mostra com clareza meridiana duas verdades inconfundíveis:

O que é do homem e o que é do Espírito Santo. Daí a necessidade daqueles que aspiram pela verdadeira

Obra do Espírito fazerem a célebre oração do rei Salomão: “SENHOR, DÁ-ME SABEDORIA PARA

DISCERNIR…” (I Reis 3:9).

Esta presente hora é de muita importância para o “povo de Deus”. É hora de trevas e confusão

para o mundo e aqueles que o seguem. Mas, para a Igreja – é hora de luz e discernimento. A confusão é

do inimigo, mas a ordem e a obediência são de Deus, por que o nosso Deus não é Deus de confusão.

Agora vamos entrar no âmago da questão, focalizando alguns pontos vitais, entre muitos, onde a

maioria tem tropeçado, misturando o que é da mente do homem com o que é de Deus. Desta maneira

ninguém alcança a Obra do Espírito. Ao falar sobre o assunto em foco vamos demonstrar ainda que

suscintamente, a grande diferença existente entre o que parte da mente do homem e o que vem do

coração de Deus para o seu povo através do Espírito Santo, que não é religião, nem denominação, nem

movimento, mas, uma Obra profunda de poder e maravilhas. A seguir destacaremos alguns pontos:

1. O BATISMO NAS ÁGUAS

Aqui está um ponto onde alguns esbarram e se confundem, pois esse assunto é, para muitos,

controvertido, porém, para a Obra ele significa apenas o que as Escrituras ensinam a seu respeito. Por

exemplo: Em Romanos 6:2-5 o simbolismo do batismo fica claramente estabelecido, significando

morte para o pecado (mundo) e RESSURREIÇÃO para andarmos em novidade de vida.

1.1 O batismo nas águas é um testemunho público que o servo presta diante de todos, da Igreja e

do mundo que ele se arrependeu, pois o batismo nas águas é o batismo do arrependimento

(Marcos 1:4). É também um preparo para o serviço na igreja visível.

1.2 Colossenses 2:12 – Paulo nos mostra que esta bênção é um ato de fé no poder de Deus. Isto é

muito importante para nós, pois a doutrina do batismo, segundo as Escrituras, não se tornou

para nós uma denominação. Nós batizamos nas águas e não fazemos disto uma religião. E,

acima de tudo, pois, já nos bastava a revelação bíblica – dignou-se o Senhor confirmar-nos

através dos dons espirituais que, na Obra o batismo seria assim: nas águas para o novo

convertido e, quanto aos vindos de outras igrejas, o Senhor deixava o problema com cada um.

Não há discussão.

1.3 Para a Obra o sentido do batismo não está no ato, mas no símbolo. A pessoa pode ser imersa

num rio grande, como num pequeno, no entanto, ela admite, conforme a própria natureza da

palavra grega – “baptizo” – imersão, deve ser em águas correntes e nunca em locais com

águas estagnadas que, no caso, seria até anti-higiênico. Admite-se também que num caso

extremo, ou seja, tratando-se de uma vida moribunda que pede o batismo, essa vida deve ser

1.4 Concluindo, o batismo nas águas, para nós é o batismo bíblico. “Quem crer e for batizado será

salvo” (Marcos 16:16).

######################################################################################

 

Parece que não cumprem mais as apostilas elaboradas por eles mesmos

A embromação continua

A embromação continua !
Estão segurando o processo dos meia solas , quem será?
Pelo Jeito é o escrivão que está tentando ajudar e pelo jeito o Juiz já demonstrou
uma certa irritação .
São as jogadas que fazem para atrapalhar e atrasar os processos;

Vejam :

Processo : 0002599-21.2012.8.08.0024 (024.12.002599-4)

Petição Inicial : 201200062104

Situação : Tramitando

Ação : Procedimento ordinário

Natureza : Cível

Data de Ajuizamento: 20/01/2012

Vara : VITÓRIA – 8ª VARA CÍVEL

Distribuição

Data : 20/01/2012 11:42

Motivo : Distribuição por sorteio

Partes do Processo

Requerente
IGREJA CRISTA MARANATA – PRESBITERIO ESPIRITO SANTENSE
007933/ES – RODRIGO CARLOS DE SOUZA
Requerido
ANTONIO ANGELO PEREIRA DOS SANTOS
LEONARDO MEIRELLES DE ALVARENGA
ECONTABIL PROCESSAMENTO DE DADOS LTDA
ECONTABIL COSULTORIA AUDITORIA E TREINAMENTO LTDA

Andamentos

28/03/2014 Petição recebida no cartório 201400382896 VITÓRIA – 8ª VARA CÍVEL

27/03/2014 Petição Protocolada 201400382896 Petição (outras)

27/03/2014 Imprensa a fazer PROC. C/ 004 VOL.

27/03/2014 Autos devolvidos do juiz com despacho 7ª Cível

27/03/2014 Despacho proferido
Em razão da promoção do Sr. Escrivão, passo a apontar as motivações do despacho de fl. 1.122 dos autos:

Verifico que o penúltimo despacho proferido por este magistrado foi em 06 de setembro de 2013, com intimação no diário da justiça em 13 de setembro de 2013, não havendo qualquer certidão quanto ao cumprimento ou não do despacho de fls. 1.112, permanecendo em cartório de 13 de setembro até o dia 07 de outubro, ou seja, 21 dias sem qualquer diligência.

Na data de 10 de outubro de 2013 comparece o advogado constante de fl. 1.117, requerendo vista dos autos fora de cartório.

Depreende-se pela análise da guia de remessa de fl. 1.120, que os autos estiveram em poder do advogado de 15 de outubro de 2013 até a data de 30/01/2014, não constando nos autos qualquer diligência ou promoção a este magistrado para cobrança ou apreensão dos autos, por parte do Sr. Escrivão, uma vez que há muito havia excedido o prazo de vistas.

Desde 30 de janeiro de 2014 os autos permaneceram em cartório, sem que os mesmos viessem conclusos, o que somente foi feito mediante solicitação verbal deste magistrado, em 26 de março de 2014, que estranhou o fato do referido processo há muito não vir concluso.

Intime-se o autor para prosseguimento do feito, requerendo o que entender de direito.

27/03/2014 Autos concluso para despacho JUIZ DE DIREITO DA SETIMA VARA CIVEL DE VITORIA-ES

26/03/2014 Imprensa a fazer

26/03/2014 Autos devolvidos do juiz com despacho

26/03/2014 Despacho proferido Verifico que existe pedido de vista nos autos desde 11 outubro de 2013, sem que os autos tenham vindo conclusos.

Advirto ao Sr. Escrivão, mais uma vez, para que fato desta natureza não volte a acontecer, sob pena de ser comunicado a Corregedoria Geral de Justiça, para as providências que entender cabíveis.

Dê-se vista pelo prazo de cinco dias.

O B A B A das Senhoras

Imagem
 
PEQUENO HISTÓRICO DA IMPLANTAÇÃO DO TRABALHO DE SENHORAS ( Apostila das senhoras)

O trabalho de Senhoras até 1994 não era unificado cada igreja procedia da melhor maneira que achava sempre com o desejo de fazer o melhor para o Senhor, porém um grupo de irmãs da área de Vila Velha-ES começaram a pedir ao Senhor que mostrasse uma direção, visando o trabalho de Senhoras naquela Igreja. Elas não podiam imaginar que o Senhor iria fazer porque a partir daquela primeira reunião, o Senhor começou a dar revelações, não somente para elas, mas para toda a obra, visando unificar o trabalho.

O Senhor começou a falar das mensagens que passariam a ser buscadas nas reuniões quinzenais. Determinou que aquelas irmãs voltassem dali a 15 dias, instituindo assim as reuniões quinzenais.

Mostrou ainda que o horário das reuniões, em toda a obra seria às 15:00h e que não haveria outro horário, porque este é o horário em que o Senhor Jesus expirou na cruz e o horário do sacrifício da tarde. Este horário passou a ser obedecido.

Em uma das primeiras visões concedidas pelo Senhor eram vistas todas as servas vestidas de noiva, como vestes totalmente iguais, todas somos a noiva do Cordeiro. Mostrou também todas de uniforme colegial, absolutamente iguais. Não havia distinção, mas cada uma com uma função. Não existe maior ou menor, todas somos iguais diante do Senhor.

O Senhor mostrou também que o motivo central da reunião é a oração. É o momento em que podemos levar os nossos pedidos diante do Senhor. O Senhor mostrou alguns motivos revelados e um momento especial, que são os cinco minutos de oração silenciosa. O senhor mostrou que nas reuniões haveria uma mensagem e essas seriam buscadas nas reuniões quinzenais.

O Senhor mostrou outro objetivo para este trabalho, que é uma revelação a respeito de nossos filhos. Trata-se da necessidade de entendermos que temos que transmitir aos nossos filhos o ensino espiritual, que é a maior herança que podemos legar a eles. Portanto esta reunião tem também este objetivo. O Senhor nos fez promessa no início das novas orientações do Trabalho de Senhoras, que

na nossa fidelidade nos daria crescimento espiritual e através das nossas intercessões as igrejas seriam abençoadas e daria prosperidade aos ministérios, prometeu mais salvação, curas, mais bênçãos, nossos filhos na presença do Senhor.

1) AS REUNIÕES DE SENHORAS:As reuniões serão uniformes em toda a obra, sempre às 15 horas;Antes da reunião, silencio total no interior do tempo;A reunião, no total, não deve ultrapassar 50 minutos;O dia da semana ficará a critério de cada igreja;O grupo que coordena deve buscar dons para as reuniões, visando às necessidades das Senhoras de modo geral; Os dons que as Senhoras tiverem durante a reunião, serão escritos e passados para o grupo de Senhoras responsáveis pela reunião, que consultarão ao Senhor e no momento próprio transmitirão dos dons;

A reunião tem como o objetivo principal da oração;Orações claras, como coração e com gratidão. As Senhoras que coordenam o trabalho devem estar atentas e orarem sempre que houver uma demora ou um vazio entre uma oração e outra;

As orações da reunião devem ser voltadas para as nossas necessidades (das senhoras);

(Lembrando que os outros motivos são levados para orar em casa, pelas madrugadas e nos cultos ao meio-dia).

É uma revelação do Senhor que as Senhoras convidem amigas e vizinhas para a reunião; Qualquer instrumentista que é usado nos cultos da igreja pode ser usada nas reuniões, seja homem, mulher ou jovem, desde que seja autorizado pelo Pastor;

Nos lugares onde se fizer necessário, por medida de segurança, poderá haver a presença de um varão ou obreiro, este poderá assistir a reunião; Senhoras que não trabalham fora e não freqüentam as reuniões de Senhoras não podem ser professoras de crianças, intermediários, adolescente e jovens;

Após a reunião, quando não houver quinzenal, visitar irmãs enfermas e necessitadas. 

 

2) O PREPARO:

O preparo é livre. Pode ser um jejum até as 09 horas, uma madrugada ou oração; não precisa ser consultado e pode ser feito em qualquer dia da semana; A madrugada como preparo para a reunião deve ser feita sempre que possível, na igreja;

A Senhoras responsável pelo preparo deve estar presente na reunião semana. Se ela não puder estar naquele dia, será substituída.

3) O PERÍODO DE LOUVOR

Na reunião de Senhoras há um período de louvor, que se iniciará como o Clamor pelo Sangue de Jesus, hinos e intercessões.

O roteiro do louvor é livre. Este período poderá durar de 25 a 30 minutos. Em qualquer momento deste período estará incluído os 5 minutos de oração silenciosa, quando cada uma das irmãs apresentará ao Senhor suas necessidades pessoais.

Os hinos não precisam ser consultados ao Senhor.

No momento da oração silenciosa, os instrumentistas param de tocar. Quanto à posição

das senhoras neste período, ficará a critério de cada irmã (sentadas, ajoelhadas ou de pé).

(Se ficarem ajoelhadas a irmã do louvor deverá ajoelhar-se de frente para o púlpito)

Haverá um período de intercessão audível, quando teremos breves orações, para que as

irmãs possam orar. O exemplo disto partirá do grupo que está à frente:

Citar os motivos revelados e deixar que as servas intercedam;

Motivos de Intercessões:

- Viúvas e idosas

- Senhoras que não convivem com seus esposos (separadas)

- Grávidas

- Fortalecimento espiritual dos lares visando o momento que vivemos

- Vida profissional dos servos para prosperidade e livramento

- Crianças, Intermediários, Adolescentes e Jovens

- Ministério local

- Motivo do mês (quando houver)

- Enfermos

- Reunião das Senhoras e outros trabalhos das irmãs (visitas, arranjo, limpeza e louvor)

- Trabalho via satélite (Reuniões de Senhoras, Jovens e Obreiros e Escola Dominical)

A irmã responsável pelo louvor deverá preparar a lista em casa de acordo com a

mensagem que será trazida. Ela pode pedir opinião ou ajuda as demais irmãs

responsáveis.

A irmã responsável pelo louvor deverá está com a lista de intercessão em mãos.

Se a senhora que dirigi o louvor e a mesma que toca na reunião, ela se assentará somente

enquanto toca o hino.

As irmãs que estarão no louvor e na mensagem deverão permanecer de pé de frente para as demais, no nível da igreja, nunca no púlpito.

4) A MENSAGEM

Nas reuniões de Senhoras são entregues mensagens breves e objetivas, não são estudos,

Não é sábio que as Senhoras entreguem mensagens de exortação, caso o Senhor revele isso, os dons deverão ser entregues ao Pastor, que marcará um dia, que lhe seja conveniente para entregar a mensagem. Este dia pode ser ou não o dia da reunião.

A mensagem da reunião de Senhoras deve ser definida na reunião quinzenal e recebida através de dons.

Que a nossa postura seja de toda a glória ao Senhor. Que em nada nos exaltemos.

5) A ESCALA

A escala para direção das reuniões será feira da seguinte forma:

Cada reunião terá três irmãs participando, uma fará o louvor, outra trará a palavra

e a terceira estará no preparo.

A escala funcionará num sistema de rodízio sempre na posição vertical e funcionará da

seguinte forma:

A irmã que entregou a palavra passa para o preparo;

A que fez o louvor passa para a palavra;

A que fez o preparo passa para o louvor.

A escala é fixa, por tempo indeterminado. A cada três meses, a escala se repete, na mesma posição e forma inicial. Poderá haver troca e substituição entre as irmãs, na escala, se houver

6) A REUNIÃO QUINZENAL

A finalidade da reunião é buscar as revelações dos assuntos para as mensagens.

Os assuntos para as mensagens virão através dos dons recebidos na reunião, ou em casa.

Depois de conferidos serão postos em ordem os textos, a revelação central e outras revelações que possam complementar a mensagem. Em casa a Senhora que estará na palavra se preparará, e o Senhor poderá ainda acrescentar outras revelações,

enriquecendo as mensagens.

A Serva que será usada na mensagem levará consigo, anotados em seu caderno, a data da reunião em que entregará a mensagem, os textos e as revelações.

As irmãs que faltarem às reuniões quinzenais, por negligência, ficaram afastadas por 30 dias da entrega da mensagem. Este afastamento será feito pelo Pastor da igreja.

Quanto às que faltarem por motivo justo, uma das Senhoras do grupo se encarregará de lhes informar as revelações e a direção da mensagem, para que elas possam cumprir normalmente a escala.

As irmãs podem ter a revelação em casa, pode ser revelação de outra irmã que não faz parte daquele grupo e trazer para o grupo que coordena as reuniões, que irá consultar ao Senhor a respeito e estruturar a palavra a ser entregue.

Modelo de Reunião Quizenal

A reunião se iniciará com as irmãs de joelhos, clamando pelo Sangue de Jesus;

Um hino de clamor;

Uma ou duas orações de glorificação;

Intercessão pelos motivos revelados:

Pelas nossas vidas, para que o Senhor nos esconda e os nossos lares;

Pelas ausentes;

Para que o Senhor prepare servas, que serão usadas em sua obra;

Se houver necessidade especial, haverá uma intercessão

Segue-se busca pela mensagem, os dons trazidos serão postos em ordem:

Cada dom será consultado;

Busca-se o discernimento;

Com base no discernimento, busca-se o texto ou textos onde se encontra o assunto; (Todos os textos devem ser anotados).

Esclarecer qual a revelação central, ou seja, qual o objetivo revelado, através dos dons para a mensagem;

Ainda na reunião ler os textos e separar o texto de cada mensagem. As irmãs devem participar ajudando no discernimento da mensagem que será trazida.

7) O GRUPO DE SENHORAS RESPONSÁVEIS

Reunir-se de 15 em 15 dias;

O grupo deverá receber imposição de mãos semanalmente ;

As senhoras que estão à frente devem ser assíduas as reuniões semanais;

Quem não freqüenta a reunião, não pode estar à frente;

As três funções da escala são igualmente importantes e nenhuma deve ser negligenciada;

As senhoras do grupo responsável pelas reuniões devem estar capacitadas para exercerem

as três funções da escala, nunca só uma ou duas;

Resumo da Coletânea de Trabalho de Senhoras

Igreja Cristã Maranata

Edição 2009

 

 

#########################################################################
 
 
E agora? Estão obedecendo as orientações do Senhor?
 
O xatélite veio e acabou com a revelação?
 
Os cultos agora sãos as quartas para cobrir a frequência que anda  baixa?
 
Que Confusão é essa de revela e desrevela?

 

Parece Batismo da ICAR.

Imagem

 

Sabemos que a obra gedeltiniana tem passado por reformas diga-se de passagem para a pior.

Cada dia aparecem novas dinâmicas, ou seja, o que antes era revelação agora desrevelou.

Deus parece que está indeciso nas suas atitudes, pois ora é uma orientação que dizem vir do Senhor, ora pé outra, enfim Deus não é Deus de confusão.

Agora mas essa ai no hospício do xerife do vale do aço.

Houve mudanças no batismo também?

Que eu saiba, apesar do senhor que esta sendo batizado ser idoso, o corpo tem que ser tampado pela agua, é batismo de imersão!

Parece Batismo da ICAR.

Está difícil de entender essas mudanças ocorridas na obra de gg.

 

 

 

O que nos choca é a cumplicidade de alguns pastores.

um irmão da igreja do Bethanea 1(Ipatinga-Vale do Aço) largou a esposa e filhos por causa de uma amante……

isso já está se tornando uma rotina na vida dos icemitas, depois dos escândalos da liderança parece que resolveram assumir o que antes faziam escondido.

O que nos choca é a cumplicidade de alguns pastores.

Nesse caso o pastor Adelson da Silva ficou sabendo e se reuniu com o irmão fazendo-lhe um pedido para que ficasse ainda como obreiro e continuasse com todas as funções como se nada estivesse acontecendo..!!!!

Bem típico desses meia solas.

Teve uma vigília e sabe quem falava em línguas muito estranhas? O próprio irmão que largou a família e foi viver com a amante.

E o meia sola pastor interpretou! Quanta cara de pau desses caras, depois querem que nos calemos.

Vocês mesmo nos dão material todo dia para postar.

Vão se converter!

 

 

 

o coordenador do polo(pr Emanuel milzard) esteve na casa do irmão “confortando e o assegurando” de suas funções!!!!
Quanta benção heim??????????
Esse irmão Ronei o que largou a esposa é conhecido aqui como o “carpinteiro da oubra,